Testes Respiratórios

Preparo para o teste:

  • Quatro semanas antes de seu teste, o paciente não deve tomar qualquer antibiótico.

  • Por 1 semana antes do teste, não fazer uso de qualquer laxante, por exemplo, leite de magnésia, ou outros agentes como suplementos para regular a evacuação. O paciente também não deve ter se submetido a qualquer teste que exija a limpeza do intestino, tais como colonoscopia ou enema baritado.

  • No dia anterior ao teste, o paciente pode consumir apenas os seguintes alimentos e bebidas: pão branco simples, arroz branco, batatas lisas, frango assado, grelhados ou peixe; água não flavorizada (“aromatizada”), café preto ou chá. Só use sal para dar sabor a comida. Manteiga ou margarina não são permitidas. Não são permitidas bebidas refrigerantes/Coca-Cola. Não comer ou beber qualquer outra coisa – pode dar resultados falsos. Especificamente, evite feijão, massas, cereais de fibra, alimentos com elevados teores de fibra. Na noite anterior ao teste, jante mais cedo, arroz e carne somente.

  • O paciente deve parar de comer e beber 12 horas antes do teste. Por exemplo, se o teste for às 09:00, deve parar de comer e beber às 21:00 na noite anterior. O paciente pode continuar a tomar seus medicamentos de prescrição habitual com água até 12 horas antes do teste. Não deve tomar nenhuma medicação na manhã do teste. Levar todos os medicamentos de prescrição para a consulta.

  • No dia do teste: o paciente não deve comer ou beber nada pela manhã. (É permitido tomar sua medicação com uma pequena quantidade de água). Se o paciente é diabético que requer insulina ou comprimidos diabéticos, deverá ser orientado pelo seu médico se sua dose da manhã deve ser alterada. Geralmente, metade da insulina é aplicada. Medicamentos hipoglicemiantes orais são geralmente tomados só após a conclusão do teste e só na retomada das refeições. Duas horas antes do teste, escove os dentes. NÃO COMER, BEBER, MASCAR CHICLETE, FUMAR, CHUPAR PASTILHAS OU COMER BOMBONS ANTES OU DURANTE O TESTE. Não dormir ou exercer atividades físicas enquanto o teste está sendo feito.

  • O teste pode durar de duas a quatro horas. Reserve o tempo suficiente para completá-lo.

  • O técnico irá verificar se o paciente não comeu ou bebeu depois da meia-noite.

  • Uma amostra de respiração ar expirado será coleta em um pequeno aparelho, similar a um bafômetro.

  • A seguir, uma solução de lactose, lactulose, glicose ou frutose será dada para beber. O paciente deve beber essa quantidade toda.

  • Amostras de ar expirado serão coletadas a cada 15 ou 30 minutos.

  • Durante o teste, o paciente deve anotar seus sintomas e informar ao técnico se tem os sintomas típicos para os quais o teste está sendo executado.

  • Durante o teste, não se deve comer doces, fumar, dormir ou praticar exercício. O ideal é que esteja em ambiente calmo, sem preocupações, tipo ligações telefônicas, vídeo games, etc.

  • Quando o teste terminar, geralmente após duas ou quatro horas, o paciente pode retornar à sua dieta habitual e atividade.

O que acontece durante o teste respiratório do hidrogênio expirado?

Você deverá soprar em um aparelho para que uma amostra de gás expirado seja analisada. Depois um líquido adoçado será ingerido. Em seguida, você colherá novas amostras em intervalos regulares (que podem variar de 15 a 30 minutos) por aproximadamente duas ou três horas. Durante todo o teste, o técnico perguntará você está sentindo náuseas, borborigmo (deslocamento dos gases ou líquidos intestinais), inchaço ou dor abdominal, cólica, diarréia ou qualquer outro sintoma que pode ter sido provocado pela ingestão do substrato. O protocolo preenchido pelo técnico será analisado pelo médico responsável pelo laudo.

O que acontece depois do teste respiratório do hidrogênio expirado?

Você será liberado e poderá se alimentar e dirigir. O médico geralmente libera o laudo do exame na semana seguinte ao procedimento

Importante:

As informações acima consistem em esclarecimentos gerais e não podem ser usadas para definir a conduta em casos específicos. É muito importante consultar o médico sobre suas condições particulares.

Princípios do teste Hidrogênio expirado:

O gás Hidrogênio do corpo é produzido a partir das bactérias intestinais. Estes micro-organismos, normalmente no intestino grosso, produzem Hidrogênio através de fermentação de carboidratos – como lactulose, glicose, xylose, sacarose, sorbitol, lactose e frutose que são substratos para o teste do hidrogênio expirado. Moléculas de Hidrogênio produzidas pelas bactérias são absorvidas pela mucosa intestinal, através dos vasos sanguíneos e são transportadas para os pulmões. O Hidrogênio é então exalado pelos pulmões pela respiração normal e é coletado para análise pelo aparelho. As pequenas bactérias intestinais metabolizam o substrato oferecido e ingerido e produzem um aumento inicial do Hidrogênio na respiração. Na intolerância à lactose, o indivíduo tem uma deficiência de lactase, a enzima que quebra a lactose. Normalmente, é digerida no intestino pela lactase e muito pouco da lactose atinge o intestino grosso onde as bactérias quebram sua moléculas e produzem hidrogênio. No teste da intolerância à lactose (deficiência de lactase), ao contrário do normal, o aparecimento de Hidrogênio na respiração após sua ingestão faz com que se pense na incapacidade de digerir por vias metabólicas normais.

 

O que é teste do Hidrogênio expirado:

O teste de respiração do Hidrogênio fornece informações sobre a digestão de determinados açúcares ou hidratos de carbono, tais como o açúcar do leite (lactose) ou açúcar de frutas (frutose). Isto ajudará a determinar se o paciente é intolerante a alguns açúcares. Um exemplo é o uso deste teste para detectar a intolerância à lactose, um transtorno no qual as pessoas têm sintomas de processamento anormal de lactose, uma substância presente em muitos alimentos, incluindo leite, iogurtes, queijo e sorvetes, por exemplo. O teste também é utilizado após a ingestão de lactulose ou glicose para detectar um crescimento anormal de bactérias dentro do intestino. O supercrescimento bacteriano pode causar uma variedade de sintomas, incluindo diarreia ou constipação, flatulência, gases e cólicas abdominais.

Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Balneário Camboriú - SC

Ambulatório de Especialidades do Hospital do Coração


Rua Arthur Max Dôose, nº156
Bairro Pioneiros - 88331-085
 

 

47-3261-6880

Itajaí - SC

Centro de Diagnóstico da Mulher - CDM 


Rua Zózimo José Peixoto, n˚166 2˚ andar - Centro - 88303-011 

 

47 - 3158-3100 | 47 - 99643-2959

@2015 Todos Direitos reservados